Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Temer acredita ter cerca de 40 votos a seu favor na CCJ, diz Mansur

07/07/17 às 09:20 - Escrito por Estadão Conteúdo
siga o Tarobá News no Google News!

Voto a voto, o presidente Michel Temer (PMDB) contabilizou um total de 39 ou 40 posições favoráveis dos 66 integrantes na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na apreciação da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra ele. O cálculo foi feito durante o trajeto do Brasil para Hamburgo na madrugada desta sexta-feira, 7, de acordo com o vice-líder do governo na Câmara, Beto Mansur (PRB-SP). "Estou acostumado a fazer contas", disse. "Fizemos uma análise vindo no avião de quantos votos nos teremos na Comissão de Constituição e Justiça e a gente vai ganhar", relatou o parlamentar.

No voo em direção a Hamburgo, na Alemanha, onde Temer participa do encontro de cúpula do G-20, o presidente conseguiu descansar, disse o deputado. Ainda segundo Mansur, o presidente está "muito tranquilo" em relação à possibilidade de o peemedebista Eduardo Cunha, preso, fazer delações que o comprometam. "Não comento nada disso. Ele até dormiu bastante. Descansou porque está em uma atividade muito intensa", declarou.

Temer decidiu participar do G-20 na última hora. Na manhã desta sexta-feira, ele também já participou da reunião dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Por isso, de acordo com o deputado, não houve uma comitiva parlamentar tão grande no evento de Hamburgo como em edições anteriores. Um total de 19 pessoas acompanhou o presidente no voo.

Leia mais:

Imagem de destaque
SAIBA MAIS

TSE rejeita recurso de Cloara Pinheiro; defesa diz que decisão não afeta mandato

Imagem de destaque
ACUSADO DE XENOFOBIA

Câmara de Apucarana descarta cassação de Vereador

Imagem de destaque
ENTENDA

STF anula mais uma condenação de Moro contra André Vargas na Lava Jato

Imagem de destaque
ENTENDA

Terminal Rodoviário é novo ponto de votação para as eleições de 2024

O mais provável, de acordo com Mansur, é que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, convoque a votação no plenário durante o período que seria o recesso parlamentar. O governo, no entanto, já conta com um jogo duro feito pela oposição. "Se eu for abrir a sessão durante recesso, avisando que vou votar questão do relatório, a oposição vai ficar esperando para ver se tem quórum, pois ela quer ver o governo sangrar. A situação, os partidos que apoiam o governo têm que colocar 342 deputados lá, mas acho que conseguimos", avaliou o vice-líder de governo.

"Defendi sempre que não tenha recesso. Com a crise política, o Brasil está paralisado com as reformas", continuou em relação à votação de projetos de mudanças no mercado de trabalho e na Previdência Social.

© Copyright 2023 Grupo Tarobá