Linha 4

Publicidade

PRF alerta motoristas sobre gravidade das colisões transversais

Redação Tarobá News

No ranking dos acidentes que mais deixaram feridos e feridos graves, a colisão transversal aparece em segundo lugar. Muitas vezes por falta de paciência, os motoristas acabam se arriscando em atravessar esses cruzamentos, e é aí que mora o perigo. Esse tipo de batida é a quarta maior causa de mortes nas rodovias.

Sete de abril, Km 592 da BR 277 em Cascavel. O motorista do carro prata acha que dará tempo de atravessar a rodovia e é acertado em cheio, o carro roda e cai no canteiro.

Três de fevereiro, Km 586 da BR-277. O carro preto não vê a aproximação de um caminhão que segue no sentido Curitiba, e é atingido na lateral.

No mesmo local, Km 586 da BR-277, outra câmera faz o flagrante. O caminhão cruza a rodovia, é atingido por outro, e acaba rodando e atingindo um terceiro caminhão.

Dezenove de janeiro. Km 589 da BR-277. A moto tenta fazer a travessia da rodovia, é atingida em cheio pelo caminhão, que passa por cima do veículo.

O que todos esses acidentes tem em comum? Aconteceram em cruzamentos que cortam a BR-277. Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal, De 2017 até hoje foram registrados 613 colisões transversais na rodovia, com 756 feridos, 205 de forma grave. Acidentes graves são 183 e mortes, 33.

Em 2021 os números também são alarmantes. Foram 34 colisões transversais, sendo 5 delas graves. 36 pessoas ficaram feridas nos acidentes, 6 delas com gravidade e outras duas pessoas perderam a vida nessas colisões.

Vários cruzamentos transversais no perímetro urbano de Cascavel já foram fechados pela PRF, para diminuir os riscos de acidentes, um exemplo foi o do Trevo da Carelli, que recentemente passou pelo fechamento. No entanto, os acidentes acontecem ainda com certa frequência.

Segundo o Inspetor da PRF, Ricardo Salgueiro, a atenção deve vir dos dois lados, do motorista que cruza a rodovia e do motorista que segue pela 277.

A recomendação é para que os motoristas que desejam cruzar a rodovia, se utilizem dos viadutos espalhados pelo perímetro, e só se utilize das travessias transversais quando necessário. 

Para quem trafega pela rodovia, a orientação é que redobre a atenção próximo a cruzamentos, e sempre ande no limite de velocidade da via.

No trânsito a conta é simples: a paciência de um minuto a mais, pode ser igual a uma vida a menos perdida nas estradas.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade