Linha 4

Publicidade

Parque das Aves realiza cerimônia no dia 23 de novembro

Redação Tarobá News

Foto: Divulgação

Para celebrar a vida dos flamingos, o Parque das Aves realizará uma cerimônia na terça-feira, 23 de novembro, às 9h, no novo jardim memorial que está sendo criado para celebrar a vida dessas aves, e promover um local onde as pessoas que os conheceram possam se lembrar deles com carinho.

“Passamos por uma situação muito difícil há alguns dias, e essa cerimônia vai ser um rito de passagem, para podermos nos despedir dos flamingos de uma maneira bonita e celebrando sua existência, que deixou marcas maravilhosas nas pessoas e na instituição”, comenta Carmel Croukamp, diretora geral do Parque das Aves.

A cerimônia

Durante o evento, a diretora geral do Parque das Aves, Carmel Croukamp, e sua irmã, Anna-Luise, vão tocar no piano e na flauta a “Dança dos Espíritos Abençoados”, da ópera Orfeu e Eurídice, do compositor alemão C. W. Gluck.

“Esse trecho da obra, que a minha irmã e eu tocamos 25 anos atrás no funeral do meu pai, fundador do Parque das Aves, Dennis Croukamp, é encantador e fala de esperança, verdade, beleza e paz. Uma combinação perfeita para relembrarmos com muito amor a vida dos flamingos, e nos despedirmos deles”, comenta Carmel. “É o que sabemos fazer em tempos de grande luto, e fazemos para honrar a minha mãe e o luto dela também, em solidariedade”, finaliza a diretora.

O jardim memorial

No espaço onde ficavam os flamingos, neste primeiro momento, será montado um jardim memorial, onde as pessoas poderão conhecer mais sobre a história do bando que viveu por quase 26 anos no Parque das Aves.

“Vamos criar um jardim no espaço, e os visitantes poderão transitar tranquilamente por ali. E no futuro vamos poder contar a história desta colônia que viveu conosco e, com a ajuda da arte, expressar nossos sentimentos”, reforça Carmel.

O legado dos flamingos

Em 1995, a família Croukamp recebeu 16 flamingos africanos resgatados de uma salina localizada entre a África do Sul e Botswana. Devido a uma seca extrema na região, que chegou antes do término do período reprodutivo, dezenas de filhotes de flamingos haviam sido abandonados pelos casais que migraram em busca de condições melhores. Sem cuidado parental, estes filhotes viriam a óbito. Os animais foram resgatados pelo Umgeni River Bird Park, na África do Sul, e encaminhados para instituições de conservação em todo o mundo.

Os 16 animais recebidos pelo Parque encontraram aqui uma segunda chance e deram início à colônia que viveu no Parque nestes últimos 26 anos. Ao longo desses anos, o Parque desenvolveu e implementou técnicas de reprodução e bem-estar animal consideradas um caso de sucesso. Em 2001, o Parque das Aves celebrou o nascimento do primeiro filhote de flamingos na instituição. Ao todo, a colônia tinha 176 flamingos chilenos e africanos vivendo no recinto.

“Diante do sucesso reprodutivo que tivemos ao longo de 20 anos, pode parecer muito fácil a reprodução de flamingos. Mas isso ainda é um desafio ao redor do mundo, e as técnicas criadas e aprimoradas no Parque das Aves já ajudaram diversas instituições e projetos, que reproduzem estas espécies. O legado que esses animais deixam, além do carinho que sentimos por eles, vai ser eterno”, comenta Paloma Bosso, diretora técnica do Parque das Aves.

O futuro

Os quatro flamingos que restaram no Parque das Aves - dois sobreviventes do acidente e dois filhotes que estavam sob o cuidado da equipe da Sala de Filhotes - estão vivendo, neste momento, no primeiro recinto do Parque das Aves: o Viveiro Árvore da Vida.

“Quem nos visita hoje pode ver de pertinho essas aves, e seguir conhecendo um pouco sobre essa espécie tão majestosa e que gera bastante curiosidade nas pessoas. O modo de descanso, em uma perna só, ou o movimentar das pernas que realizam para se alimentar encantam as pessoas que nos visitam. Nosso desejo é que todos tenham essa oportunidade de conhecê-los e admirá-los, assim como nós sempre fizemos. É importante que essas e outras aves possam despertar nas pessoas a empatia tão essencial para mantermos as nossas relações de respeito e harmonia com a natureza”, comenta Paloma.

Neste momento, a direção do Parque das Aves ainda não tem definido quais serão os próximos passos quanto à criação de flamingos no atrativo.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade

Nós usamos cookies teste site para lhe proporcionar a melhor experiência possível lembrando de preferências em visitas anteriores. Clicando em "Aceitar" você aceita o uso de cookies e nossos Termos de Uso.