Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Criança terá que esperar por consulta com cardiopediatra até março de 2024

21/11/23 às 15:43 - Escrito por Redação Tarobá News
siga o Tarobá News no Google News!

A família de uma criança de três anos, com cardiopatia, luta para conseguir atendimento médico especializado. Para prosseguir com o tratamento, o menino precisa passar por um pediatra e, pelo SUS, a agenda está disponível apenas para o final de março de 2024.


Artur Miguel é a alegria da família. Ele e a irmã Manu brincam e se divertem correndo pela casa.

A mãe de Artur percebeu que ele estava ficando muito sonolento, tendo muita febre, e decidiu levar o pequeno até o Pronto Atendimento Infantil (PAI) no último dia 11 de novembro.

Leia mais:

Imagem de destaque
871 CONFIRMAÇÕES

Regional de Londrina é líder em casos de dengue no Paraná, segundo boletim

Imagem de destaque
PROTEJA-SE

Saúde disponibiliza novas doses da vacina bivalente para grupos prioritários

Imagem de destaque
EXPECTATIVA EM ALTA

Secretaria de Saúde entrega mais de 200 aparelhos auditivos em Londrina

Imagem de destaque
ALINHAMENTO

Encontro da Sesa discute demandas, prevenção e assistência em Londrina


“Tem dias que ele é muito sonolento”, comenta Geovanka Thais Soares, mãe do Arthur. “Ele não quer levantar nem para comer”.


As equipes do PAI pediram exames da criança e foi constatado que ele tem uma alteração no coração: o lado esquerdo é maior que o lado direito.


Foram feitos dois encaminhamentos: um, para que o garotinho passe por uma consulta com o pediatra. O outro, um acompanhamento médico com um cardiopediatra.


No entanto, para ter acesso ao acompanhamento cardiopediátrico, ele precisa passar, primeiro, pelo pediatra.


O problema é que essa consulta ficou marcada somente para o ano que vem: dia 29 de março de 2024.


O caso de Artur é urgente e a mãe espera que, com a divulgação da TV Tarobá, a consulta possa ser adiantada e ele receba o atendimento necessário o quanto antes.


“Eu chego a olhar pra ele e pensar assim: ‘- Meu Deus! Hoje eu tenho meu filho aqui. E daqui a quatro meses, será que eu vou ter o meu filho aqui ainda? Eu estou com o coração muito triste, estou muito magoada, porque a gente paga os impostos e ainda não tem o atendimento que é necessário, sabe? Então é muito difícil” comenta Geovanka.


Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que foi procurada pela mãe da criança e que está mobilizando toda a equipe para atender o Artur o mais rápido possível.

© Copyright 2023 Grupo Tarobá