Linha 4

Publicidade

Acil considera injusto fechamento do comércio: 'os bons vão pagar pelos maus'

Redação Tarobá News

Arquivo/Tarobá

A presidente da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Márcia Manfrin, classificou como injusto o fechamento das atividades não essenciais anunciado nesta sexta-feira (26) pelo governador Ratinho Junior (PSD).

LEIA MAIS: Ratinho Junior decreta lockdown dos serviços não essenciais em todo o Paraná

“As pessoas que têm trabalhado dentro dos protocolos, fazendo a segurança dos seus ambientes, vão pagar agora por aqueles que desrespeitaram a lei. Nós temos que ter noção de que nós somos responsáveis pela vida. Mas sabemos também que economia precisa ser retomada”, avaliou.

Márcia admitiu a existência de empresários que desrespeitaram as normas sanitárias, mas entende que a medida mais correta seria intensificar a fiscalização. Ela concorda com a ampliação do horário de restrição de circulação de pessoas e de venda e consumo de bebidas alcoólicas, uma das medidas anunciadas nesta sexta-feira pelo governo estadual. 

“A Acil é favorável à ampliação ao toque de recolher, porque nós vamos reduzir o trânsito de pessoas. Mas o aumento da fiscalização é fundamental para que nós possamos ter vigilância nos locais que desrespeitam as medidas”.

Com o fechamento comércio, a presidente da Acil prevê aumento do desemprego e do fechamento de estabelecimentos comerciais, além do agravamento da crise econômica.

“Muitas portas serão fechadas se nós não cumprirmos um pacto de retomada da economia. Precisamos estar solidários, obviamente, em relação à vida e à saúde do ser humano, mas nós sabemos que os danos que nós podemos ter referentes ao desemprego e à escassez monetária das famílias vai estabelecer um conflito muito grande”.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade