Linha 4

fernando-brevilheri

Publicidade

Copel anuncia mudanças na governança e política de dividendos

Fernando Brevilheri

foto: aen

A Copel comunicou ao mercado, acionistas e investidores que vai anunciar nesta quinta-feira 21, as 12h mudanças na governança e na política de dividendos da companhia. 

A Companhia está migrando do nível 1 para o nível 2 de governança na B3 Bolsa de Valores de São Paulo. O comunicado lista vários pontos como:  

• Garantir que o atual dispositivo estatutário que obriga a aplicação integral de reajustes tarifários, homologados pela Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, não possa ser alterado ou excluído sem que haja a aprovação da maioria dos acionistas detentores de ações preferenciais;  

• Aumentar de 2 para 3 o número de membros eleitos pelos acionistas não controladores no CAD;  

• Incluir um membro externo independente no Comitê de Auditoria Estatutário; e  

• Instituir 3 comitês de assessoramento ao CAD, sendo eles: o Comitê de Investimento e Inovação, com a finalidade de avaliar e emitir recomendação acerca dos planos de investimentos da Companhia, composto por 3 membros do CAD, sendo um deles representante dos acionistas minoritários; o Comitê de Desenvolvimento Sustentável com a finalidade de auxiliar o CAD na proposição de diretrizes, políticas e principais temas relativos à gestão de pessoas e ESG; o Comitê de Minoritários com a finalidade de analisar e emitir recomendações e pareceres sobre matérias que envolvam transações entre a Companhia e o acionista controlador.  

• Programa de UNITs, incluindo: o Desdobramento de ações na proporção de 1 para 10; o Possibilidade de conversão de ações na razão de 1 ON para 1 PNB (e vice-versa); o Formação de UNITs compostas por 5 ações de emissão da Companhia, sendo 1 ON (CPLE3) e 4 PNB (CPLE6); 

• Adesão ao Nível 2 de Governança Corporativa da B3 que estabelece, entre outros: o Tag along de 100% para as ações Ordinárias e Preferenciais, conferindo tratamento equitativo aos acionistas da Companhia; o Direito de voto para os acionistas preferencialistas em assuntos que tratem de transformação, incorporação, cisão ou fusão da Companhia. 

No início do mês o governo do Paraná -acionista controlador da Copel- enviou carta à companhia condicionando a aprovação da migração do nível 1 para nível 2 à realização de uma oferta secundária de ações do Paraná em conjunto a oferta a ser realizada pelo BNDESPAR.  

O governo também solicitou distribuição de dividendos extraordinários “no maior valor possível” levando-se em consideração as necessidades de caixa da companhia. 

A transmissão ao meio dia terá tradução simultânea. 

 copel.pdf

Os artigos dos blogs não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor do texto.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade