Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Unioeste adere ao Programa de Acolhida aos cientistas ucranianos e recebe pesquisadora

14/08/22 às 18:36 - Escrito por Assessoria

A Unioeste, campus Foz do Iguaçu, recebe nesta segunda-feira (15) a partir das 8h, a pesquisadora ucraniana Yuliia Felenchak que atuará no Programa de Pós – Graduação em Sociedade, Cultura e Fronteiras, pelo período de dois anos.


A vinda da pesquisadora, que, na Ucrânia, atuava na Universidade Estadual de Cultura Física de Lviv, está sendo viabilizada pelo Programa de Acolhida a Cientistas Ucranianas, da Fundação Araucária, ao qual a Unioeste aderiu.


A pesquisadora Yuliia Felenchak, morava na cidade de Lviv no oeste da Ucrânia e através do site do  Ministério da Educação e Ciência do país teve conhecimento sobre o programa desenvolvido pela Fundação.


“Para mim, esta é uma grande experiência e uma oportunidade de melhorar profissionalmente, assim como uma chance de aprender outra língua estrangeira. O programa oferece uma oportunidade para continuar minha pesquisa científica. Afinal, o Brasil, assim como a Ucrânia, possui recursos turísticos significativos e únicos, cujo uso racional contribui para o desenvolvimento bem-sucedido da indústria do turismo”, disse ela.


 Doutora em Economia, Perita da Agência Nacional de Garantia da Qualidade no Ensino Superior da Ucrânia a pesquisadora é autora de mais de 80 trabalhos científicos e educacionais.


O Programa

O Programa de Pós-Graduação, Stricto Sensu, em Sociedade, Cultura e Fronteiras, nível de Mestrado e Doutorado teve início em 2010 e se propõe qualificar profissionais que desenvolvam, durante o processo de formação, capacidades para coordenar estudos e pesquisas transfronteiriços, na perspectiva de ultrapassar as fronteiras geopolíticas.

Como funciona

Por meio do Programa de Acolhida a Cientistas Ucranianas, as cientistas podem receber dois tipos de bolsa, de acordo com o tempo de experiência profissional.


A bolsa categoria Pesquisador Visitante Especial 1 (PVE1) é destinada a pesquisadoras com mais de cinco anos de atuação como docente universitária e com respectivo grau de produtividade acadêmica. Já a PVE2 é voltada a pesquisadoras com menos de cinco anos de experiência, tem mesmo período de duração.


Além disso, as Instituições de ensino participantes assumem o compromisso de disponibilizar um coordenador do trabalho dos cientistas, além de dar todo amparo e acolhida às pesquisadoras.


© Copyright 2022 Grupo Tarobá