Equador diz ter sido atacado após prisão de Assange

Estadão Conteúdo
Mundo | Publicado em 16/04/2019 às 06:31

O governo do Equador disse na segunda-feira, 15, ter sofrido mais de 40 milhões de ciberataques em sites de instituições públicas após cancelar o asilo diplomático do fundador do WikiLeaks, Julian Assange.

As ações vieram principalmente dos EUA, Brasil, Holanda, Alemanha, Romênia, França, Áustria, Reino Unido. O subsecretário de Governo, Javier Jara, explicou que "o país recebeu ameaças de grupos relacionados a Julian Assange" e o país foi alvo de "ataques conhecidos como ataques volumétricos" que impedem o acesso aos sites. (Com agências internacionais)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Relacionados

Mundo | 17-04-2019 11:10

Museu Nacional recebeu R$ 1,1 milhão em ajuda

Museu Nacional recebeu R$ 1,1 milhão em ajuda

Mundo | 17-04-2019 10:35

Ex-presidente do Peru tenta se matar antes de ser preso por caso Odebrecht

Ex-presidente do Peru tenta se matar antes de ser preso por caso Odebrecht

Mundo | 17-04-2019 10:05

Papa agradece aos bombeiros que salvaram a catedral de Notre-Dame

Papa agradece aos bombeiros que salvaram a catedral de Notre-Dame

Mundo | 16-04-2019 14:35

Doações para reconstruir Catedral de Notre-Dame já somam R$ 2,6 bilhões

Doações para reconstruir Catedral de Notre-Dame já somam R$ 2,6 bilhões