Ex-chefe de campanha de Trump mentiu após fechar acordo judicial, diz promotoria

Estadão Conteúdo
Mundo | Publicado em 07/12/2018 às 21:55

Documentos judiciais divulgados nesta sexta-feira apontam que Paul Manafort, ex-chefe da campanha presidencial de Donald Trump, testemunhou em duas ocasiões como parte de seu acordo com a Justiça. Promotores da equipe do promotor especial Robert Mueller acusaram Manafort de violar o acordo ao mentir aos investigadores.

A promotoria diz que Manafort foi convocado a testemunhar em 26 de outubro e em 2 de novembro, sem entrar no mérito do que estaria sendo investigado. Ele fechou um acordo em setembro, mas promotores dizem que ele mentiu em 12 ocasiões diferentes, com "múltiplas mentiras discerníveis". Manafort não falou a verdade, por exemplo, sobre seus contatos com um russo e com membros do governo Trump.

O próprio Manafort tem negado ter dado informação incorreta intencionalmente. Fonte: Associated Press.



Relacionados

Mundo | 16-02-2019 16:45

EUA enviam à Colômbia ajuda humanitária destinada à Venezuela

EUA enviam à Colômbia ajuda humanitária destinada à Venezuela

Mundo | 16-02-2019 15:30

Vaticano expulsa ex-cardeal Theodore McCarrick, acusado de abusos sexuais

Vaticano expulsa ex-cardeal Theodore McCarrick, acusado de abusos sexuais

Mundo | 16-02-2019 13:15

EUA cobram que UE reconheça Guaidó como presidente da Venezuela

EUA cobram que UE reconheça Guaidó como presidente da Venezuela

Mundo | 15-02-2019 15:05

Deputada democrata diz que decreto de Trump "ameaça segurança" e será contestado

Deputada democrata diz que decreto de Trump "ameaça segurança" e será contestado

PUBLICIDADE