Pesquisadores e entidades se unem para manter IAPAR independente

Redação Tarobá News
Tecnologia | Publicado em 30/08/2019 às 10:54

Ao menos 10 entidades de Londrina se uniram para tentar manter o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) na cidade. O debate, marcado para a Câmara dos Vereadores, nesta sexta-feira (30), contou com a leitura de um manifesto em defesa do órgão como uma autarquia independente.

Pesquisadores também estavam presentes para defender o trabalho da entidade que atualmente é responsável por inúmeros avanços tecnológicos e melhoramento genético vegetal.

O ato é uma manifestação contraria a proposta do governador Ratinho Junior que que quer fundir Iapar, Emater, Centro de Referência em Agroecologia (CPRA) e Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná (Codapar) em apenas um órgão: o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná.

Para o pesquisador e ex-diretor de pesquisado do instituto Tiago Pellini, a pesquisa é um setor portador de futuro e com a fusão, esse setor estratégico pode ser comprometido. “Como resumir quatro empresas que tem quatro estruturas diferentes, missões diferentes, diferentes finalidades, culturas organizacionais? Muito pode se perder pro futuro. O governo do estado tem o mandato da sociedade para fazer a melhor gestão do que é público, mas nós temos instituições que não podem ser comprometidas. E o PL (projeto de lei) é omisso a como vai funcionar esse novo instituto”.

O projeto de lei que Pellini se refere é o 594/19 do governo do estado que agrupa as instituições. O pesquisador se preocupa ainda com os riscos patrimoniais já que já diferenças grandes entre as instituições que serão fundidas.

“Não houve um estudo de alto nível. Se isso tivesse acontecido, não teriam colocado junto todas essas instituições num estado onde o agronegócio é tão importante”, aponta. Ele reclama ainda da falta de transparência e debate aberto.  “Não houve discussão pública. Não se conversou com agricultores, cooperativas comunidade de inovação, pesquisadores. É muito complicado e não sei se tem solução pra esse PL porque ele é nefasto para a pesquisa agropecuária”, conclui.

O presidente da Sociedade Rural do Paraná, Antonio Sampaio acredita que da forma como o projeto de lei foi apresentado, o Iapar está fadado a desaparecer. “Se são necessárias adequações, que sejam, feitas, mas fusões dessa forma são inviáveis”.

Sampaio lembra ainda que em visita a Londrina, em abril, na ExpoLondrina, o governador havia prometido manter as 6 diretorias do instituto na cidade e não apenas uma, como está sendo falado agora. “O Iapar tem um trabalho enorme com café, feijão, aveia. Muito do que é plantado Brasil afora sai de pesquisas daqui. Se há problemas, que eles sejam corrigidos, mas se fechar as portas, o agricultor vai ter acesso a quem, em Curitiba?”, declarou.

Confira o manifesto:



Relacionados

Londrina | 13-11-2019 20:41

A inovação tecnológica das startups é destaque no Agrobit

A inovação tecnológica das startups é destaque no Agrobit

Tecnologia | 20-10-2019 07:12

Mesmo sem horário de verão, celulares adiantam relógio em uma hora

Mesmo sem horário de verão, celulares adiantam relógio em uma hora

Tecnologia | 29-09-2019 10:26

Quase metade do planeta ainda não tem acesso à internet

Quase metade do planeta ainda não tem acesso à internet

Tecnologia | 27-09-2019 08:19

Computador ou na tela do celular: onde é melhor fazer a compra?

Computador ou na tela do celular: onde é melhor fazer a compra?