Projeto viabiliza reduzir gravidez na adolescência

Redação Tarobá News
Educação | Publicado em 17/07/2019 às 09:01

Representantes das secretarias de Educação, Dejair Márcio, da Saúde, Monica Grando Grutzmacher, e do Núcleo Regional de Educação, Adriana Furlanetto, estiveram reunidos hoje (16) na Prefeitura de Cascavel com Cintia Cruz, analista técnica do Fundo de População da ONU (Organização das Nações Unidas) e Georgia Silva, também assessora técnica da ONU para discutir questões relacionadas à gravidez na adolescência.

De acordo com as técnicas da ONU, ainda não há um levantamento fechado sobre os números em Cascavel e região. "Estamos fazendo este levantamento para saber qual é a realidade de cada município para traçarmos metas de trabalho a serem desenvolvidas junto a este público cuja faixa etária gira de 10 a 19 anos", esclareceu Cintia cruz. A ideia é desenvolver ações de orientação junto às comunidades usando as estruturas já existentes em cada Município e capacitar os servidores na abordagem e orientação as adolescentes.

Para o secretário de Saúde, Thiago Stefanello, "a capacitação de pessoas é fundamental para que os resultados sejam positivos em favor da vida destes adolescentes; o município já tem bons resultados na diminuição da mortalidade materno infantil. Esse trabalho em conjunto com a ONU, traz maior capacitação, maior experiência para os profissionais. Estamos preparando e tentando criar para o ano de 2020, no primeiro quadrimestre , os três centro materno infantis do Município de Cascavel com atuação de médicos ginecologistas, pediatras, ambulatórios de alto risco e tudo vem se encaixando com o direcionamento que estamos traçando para o próximo ano".

Projeto para o Oeste

A parceria entre a Itaipu Binacional e o UNFPA (Fundo de População das Nações Unidas) tem como objetivo trabalhar os 51 municípios do Oeste do Paraná que assinaram o termo de adesão ao projeto, trazendo uma experiência positiva para a Tríplice Fronteira ao realizar ações para a prevenção e redução da gravidez não intencional na adolescência.

Iniciado em 2018, o projeto vem sendo desenvolvido a partir de análise de dados serviços e estratégias de comunicação que permitam desenvolver ações voltadas para a educação permanente de profissionais de saúde e educação que trabalham com adolescentes e jovens.

O projeto conta com ações em quatro frentes: saúde, educação, gestão do conhecimento e comunicação. As ações também tem foco no desenvolvimento socioeconômico, criando e ampliando oportunidades para que adolescentes e jovens ajudem na construção de serviços acolhedores de saúde e também tenham garantidos condições de ampliar sujas habilidades para a vida e competências socioemocionais.

Expectativa

Entre os resultados esperados com o projeto, a expectativa é desenvolver a metodologia nos 51 municípios do Oeste do Paraná que aderiram ao projeto, capacitar 85% ou mais de profissionais indicados das áreas da saúde e educação e assistência social e judiciária, para oferecer serviços de qualidade, fortalecidos na atenção a adolescentes, certificar Municípios com o selo para o reconhecimento de serviços adequados para adolescentes de acordo com as diretrizes da ONU e do Fundo de população das Nações Unidas.


Portal do Cidadão



Relacionados

Joaquim Távora | 05-12-2019 11:05

Ministério Público entra com ação para zerar fila da educação infantil em Joaquim Távora

Ministério Público entra com ação para zerar fila da educação infantil em Joaquim Távora

Educação | 05-12-2019 10:11

Secretaria de Educação do Paraná emite nota sobre paralisação

Secretaria de Educação do Paraná emite nota sobre paralisação

Londrina | 04-12-2019 16:16

Servidores da UEL saem da greve, mas não descartam retomar paralisação

Servidores da UEL saem da greve, mas não descartam retomar paralisação

Londrina | 04-12-2019 15:33

Professores da UEL fazem assembleia e decidem permanecer em greve

Professores da UEL fazem assembleia e decidem permanecer em greve

PUBLICIDADE