Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Uma vitória para exorcizar os fantasmas do Cascavel

11/07/22 às 10:18 - Escrito por Luciano Neves

Ufa! Essa foi a reação de muitos torcedores do Cascavel após a vitória por 3 a 0 sobre o Marcílio Dias no último sábado, no Estádio Olímpico Regional. E, obviamente, a expressão de alívio foi usada por membros da comissão técnica e por jogadores do clube. Foi uma vitória emblemática em diversos sentidos. Um resultado que acabou com a ‘zica’. O primeiro motivo do alívio foi, logicamente, a classificação para a segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro com uma rodada de antecedência. O Cascavel é o quarto colocado do Grupo A8 com 22 pontos, dois a menos que os líderes Caxias, Azuriz e Aimoré, todos com 24 pontos. Nesta chave, as quatro vagas estão preenchidas.


O segundo aspecto foi bola na rede. O Cascavel não marcava gols há três jogos e, consequentemente, não vencia há três partidas na Série D. Rodrigo Alves foi o autor do primeiro gol da vitória sobre o Marcílio Dias e balançou as redes aos 36 minutos do primeiro tempo. Antes disso, Robinho havia feito o gol da vitória sobre o Juventus aos 38 minutos do segundo tempo. Ou seja, o ataque do Cascavel passou em branco por 313 minutos, isso sem considerar os acréscimos das partidas. Foi ou não foi um gol de ‘sai zica’? Sem contar que Rodrigo Alves, uma das principais contratações do Cascavel para a Série D, marcou o primeiro golzinho com a camisa do clube.


Até então, o Cascavel tinha onze gols na Série D, um dos ataques menos eficientes do Grupo A8. Até o jogo de sábado, dos onze gols, apenas cinco haviam sido marcados por atacantes de ofício. Rodrigo Alves inspirou os colegas de ataque e todo o setor trabalhou bem. O próprio camisa 29 deu o passe para Lucas Coelho deixar o dele. O camisa 9 já havia marcado dois gols no Estádio Olímpico Regional, mas ambos como adversário do Cascavel. Enfim, ele marcou com a camisa aurinegra em casa. Foi o segundo gol dele nesta Série D.


Por falar em jejum, Léo Itaperuna havia marcado um golzinho na primeira rodada da Série D na vitória suada sobre o Próspera. O camisa 11 já tinha onze jogos sem balançar as redes. E fechou o placar com a vitória por 3 a 0. Que alívio!


E foi mesmo um resultado de peso. Foi a maior vitória do Cascavel no ano. O time havia vencido o Rio Branco de Paranaguá na primeira rodada do Campeonato Paranaense por 3 a 0. Mas aquele jogo que ocorreu no dia 21 de janeiro não teve bola rolando. A Serpente Aurinegra venceu por WO e o placar de 3 a 0 foi uma atribuição por isso. Contra o Marcílio Dias, o Cascavel, de Tcheco, venceu por 3 a 0, com três gols de atacantes. O time não vencia por três gols de diferença com bola rolando desde o dia 18 de julho do ano passado, quando venceu o Rio Branco de Paranaguá por 4 a 1, pela sétima rodada da Série D.

Tudo pode acontecer

O Grupo A8 tem as quatro vagas definidas, mas o equilíbrio é tanto que as posições na tabela só serão definidas na última rodada, no próximo sábado (16). O Cascavel é o quarto colocado, mas pode subir na tabela. Para isso terá que derrotar o lanterna Próspera, em Santa Catarina. Ou seja, pode chegar a 25 pontos. Pode ser primeiro, mas para isso precisa de uma combinação de resultados. A rodada tem um confronto direto entre Caxias e Azuriz. Um empate neste jogo e um tropeço do Aimoré diante do Marcílio Dias pode render a liderança. O Cascavel precisaria repetir a vitória por três gols de diferença para passar o Caxias no saldo de gols. Se o confronto direto entre Caxias e Azuriz tiver um vencedor este time será o líder do grupo. Para ser segundo colocado, o Cascavel terá que vencer o Próspera e torcer para o Aimoré não derrotar o Marcílio Dias. O Cascavel também pode ser segundo colocado em caso de empate entre Caxias e Azuriz e vitória do Aimoré. Neste caso, também necessitaria de uma vitória maiúscula sobre o Próspera para superar o Caxias no saldo de gols. Se o Aimoré vencer o Marcílio e houver um vencedor em Caxias do Sul, a Serpente Aurinegra fica com o terceiro lugar. Agora, se não vencer o Próspera ficará com o quarto lugar.


As possibilidades são muitas. Por isso, obviamente, é impossível afirmar quem será o adversário da segunda fase. Os classificados do Grupo A8 enfrentam os classificados do Grupo A7. Por enquanto, apenas dois times estão classificados: o líder São Bernardo e o vice-líder Paraná Clube. Quatro times vão lutar pelas últimas duas vagas na última rodada. O Cianorte tem chances, mas precisa de uma combinação de resultados para se classificar.

Classificados

Falta apenas uma rodada para o fim da primeira fase da Série D do Brasileiro. Até agora, 23 equipes estão matematicamente classificadas. No Grupo A1, Amazonas, Rio Branco-AC e São Raimundo-RR avançaram. O Grupo A2 tem dois classificados: Moto Club e Tocantinópolis. No Grupo A3, são dois garantidos: Retrô, dono da segunda melhor campanha da Série D com 30 pontos, e Souza. O Grupo A4 tem três classificados: Lagarto, ASA e Jacuipense. O Grupo A5 tem o time de melhor campanha na Série D. O Brasiliense tem 32 pontos. Nessa chave, Anápolis e Costa Rica-MS também estão garantidos. O Grupo A6 também tem quatro classificados: Pouso Alegre, Bahia de Feira, Real Noroeste e Nova Venécia. No Grupo A7, estão classificados São Bernardo e Paraná Clube. E o Grupo A8 já definiu os quatro times que vão disputar o mata-mata: Caxias, Azuriz, Aimoré e Cascavel.

© Copyright 2022 Grupo Tarobá