Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

EUA dizem que Coreia do Norte testou míssil intercontinental e retaliam

04/07/17 às 20:15 - Escrito por Estadão Conteúdo
siga o Tarobá News no Google News!

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, confirmou nesta terça-feira que o míssil testado pela Coreia do Norte era um míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês) e que o lançamento representa "uma nova escalada de ameaça aos EUA, aos nossos aliados e parceiros, à região e ao mundo". Tillerson enfatizou, ainda, que Washington condena fortemente a ação de Pyongyang.

Na manhã de terça-feira (horário local), o Exército da Coreia do Sul informou que Pyongyang havia lançado um novo míssil balístico no Mar do Japão. Em um primeiro momento, autoridades sul-coreanas e americanas informaram que o míssil não era intercontinental; no entanto, o regime de Kim Jong Un anunciou, posteriormente, que havia lançado com sucesso o seu primeiro ICBM, sendo o teste mais bem sucedido por parte da Coreia do Norte, já que o míssil poderia chegar ao Alasca.

Como resposta à ofensiva norte-coreana, EUA e Coreia do Sul realizaram um teste conjunto de míssil balístico no Mar do Leste. Segundo o Exército americano, esse teste afirma o "rígido compromisso" americano em defender a Coreia do norte das "ações ilegais" de Pyongyang. O Exército também anunciou o lançamento de mísseis táticos superfície-superfície nas águas da costa leste sul-coreana. De acordo com a agência de notícias estatal da Coreia do Norte, o míssil balístico intercontinental testado pelo país tem a capacidade de carregar uma ogiva nuclear de grande porte. O regime norte-coreano ainda ameaçou Washington, ao comentar que tem como objetivo desenvolver um ICBM capaz de atingir os EUA ainda neste ano e que não irá negociar a menos que os EUA amenizem as ameaças.

Leia mais:

Imagem de destaque
ACIDENTE

Navio bate contra ponte que colapsa e cai com vários veículos nos Estados Unidos

Imagem de destaque
DIA MUNDIAL DA ÁGUA

Itaipu leva discussão sobre gestão compartilhada da água para conferência da ONU

Imagem de destaque
FIM DA FESTA

Maior fornecedor de armas e drogas para o Comando Vermelho, é preso em bordel no Paraguai

Josué da Cunha
INTERNACIONAL

Paranaense na Flórida, mostra cenário de destruição durante passagem do Furacão Ian

"Uma ação global é necessária para parar essa ameaça global. Qualquer país que hospede funcionários norte-coreanos ou forneça benefícios econômicos ou militares falha ou não implementa totalmente as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas", disse o secretário americano. Para Tillerson, "todas as nações deveriam demonstrar publicamente à Coreia do Norte que existem consequências à busca deles por armas nucleares".

Os EUA requisitaram ao Conselho de Segurança da ONU uma reunião de emergência para discutir o último lançamento realizado pelo regime de Kim Jong Un, irá ocorrer nesta quarta-feira às 16h (de Brasília). O assunto também deve estar presente nas conversas que o presidente americano, Donald Trump, pretende realizar com os presidentes da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e da China, Xi Jinping, e com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, durante a cúpula de líderes do G-20, em Hamburgo, na Alemanha.

© Copyright 2023 Grupo Tarobá