Mundo

Mundo

Trump critica postura da oposição no Congresso e espera aprovar reforma na saúde


Trump critica postura da oposição e espera aprovar reforma na saúde

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou a política da oposição do Partido Democrata no Congresso, que segundo ele é "obstrucionista". Trump disse que democratas e a situação republicana deveriam trabalhar juntos em temas como a reforma do sistema de saúde e para reformar o sistema tributário, com corte de impostos. "Eu acho que o povo americano está cansado de obstrucionistas", afirmou Trump, durante entrevista à rede americana Fox, que disponibilizou em seu Twitter alguns vídeos com trechos da conversa, nos quais ele também nega que tenha gravado conversas com James Comey, ex-diretor do FBI demitido pelo presidente em maio.

Trump voltou a criticar o sistema de saúde privada hoje em vigor nos EUA, o chamado Obamacare, aprovado durante o governo do ex-presidente Barack Obama. "Eu acho que o Obamacare está morto", disse ele, argumentando que empresas do setor têm se retirado da iniciativa. Trump afirmou que o ideal seria se houvesse uma união bipartidária para aprovar essa reforma, mas também notou que não acredita que será o que ocorrerá.

A jornalista da Fox questionou Trump sobre quatro senadores republicanos que se mostraram contrários à lei que pretende reformar o Obamacare, da maneira como ela foi apresentada nesta semana. Trump disse que os senadores em questão são "amigos" dele e provavelmente acabarão por apoiar a medida. O presidente lembrou que o tema tem um histórico de disputas difíceis e prolongadas no Legislativo americano, mas disse que em alguns meses conseguiu grandes avanços, que levaram anos para ocorrer anteriormente. Trump disse que agora a intenção é ver se é possível atender às mudanças pedidas pelos quatro senadores que não se mostram dispostos a apoiar o modelo atualmente em pauta.

O presidente falou sobre o fato de que Comey disse que Trump sugeriu a ele, ainda no cargo, que arquivasse uma investigação sobre o ex-assessor de segurança nacional Michael Flynn. "Não houve obstrução. Não houve conluio. Houve vazamento de Comey", afirmou Trump, rechaçando também qualquer conluio entre a campanha à presidência dele no ano passado e autoridades da Rússia. Trump ainda negou que tenha gravado conversas com Comey. "Eu não gravei e não tenho nenhuma gravação", afirmou Trump sobre seus diálogos com o então diretor do FBI.

O presidente também comentou o fato de que a deputada democrata Nancy Pelosi tem sido criticada dentro de seu próprio partido, após os democratas perderem uma eleição especial para a Câmara dos Representantes na Geórgia. Pelosi é líder da minoria democrata na Câmara, mas alguns no partido defenderam que ela perca o posto, diante dos maus resultados nas urnas. Trump disse esperar que ela não perca o cargo, porque o histórico dos republicanos durante a presença dela no posto é "extraordinário", mas disse que esperará para ver o que acontece nesse caso.


Selecione sua cidade

Cascavel | Londrina